Defesa Civil Nacional informa cuidados que devem ser tomados com risco de ciclone no Sul do País

Defesa Civil Nacional informa cuidados que devem ser tomados com risco de ciclone no Sul do País

Tempestade pode causar rajadas de ventos acima de 100 km/h, começando na noite desta segunda-feira (16) e se intensificando na terça-feira à tarde no Rio Grande do Sul e, ao longo da quarta-feira (18), também em Santa Catarina

Brasília (DF) 16/05/2022 — O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, realizou, nesta segunda-feira (16), coletiva de imprensa com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para informar os cuidados que a população deve tomar em relação ao ciclone, classificado como tempestade subtropical, que pode atingir a região Sul, principalmente os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a partir da manhã desta terça-feira (17).

A tempestade pode causar rajadas de ventos acima de 100 km/h, começando na noite desta segunda-feira (16) e se intensificando na terça-feira à tarde no Rio Grande do Sul e, ao longo da quarta-feira (18), também em Santa Catarina. O Paraná e o sul do estado de São Paulo também podem ser atingidos.

O Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil já está mobilizado, bem como as defesas civis estaduais e municipais, que também vão ajudar a informar a população que reside nas áreas que podem ser atingidas.

Durante a coletiva, o diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) do MDR, Armin Braun, alertou para os cuidados que a população precisa ter e as medidas a serem tomadas para que o impacto dos ventos e das chuvas seja menor.

“Rajadas de vento de 100 quilômetros por hora podem causar destelhamento de estruturas mais precárias, queda de pequenas árvores e de postes e, com isso, pode ocorrer interrupção do fornecimento de energia. As pessoas devem evitar sair de casa durante tempestades, buscar locais mais protegidos e informações sobre quando os ventos vão acontecer”, destaca Braun. “Também é importante desligar a energia da tomada, fechar a saída de gás do botijão. Pequenas ações são importantes na busca da autoproteção e da proteção comunitária. Em caso de emergência, a própria Defesa Civil pode ser acionada no telefone 199 e os bombeiros no 193”, acrescenta.

Os alertas à população estão sendo enviados por meio de SMS, TV por assinatura, pela imprensa e pelas redes sociais da Defesa Civil Nacional (@defesa civilbr) e do Inmet (twitter: @inmet_ | Instagram: @inmet.oficial). É importante buscar informações com base nos veículos oficiais, para não haver o risco de acessar dados incorretos que possam gerar pânico na população.

A Defesa Civil Nacional também solicitou que a população cadastre os telefones celulares, por meio do envio de mensagens de texto para o número 40199, com o CEP da região onde mora, para passar a receber alertas por SMS. Também é importante estar sempre atento às informações da Defesa Civil, principalmente dos municípios, que dão a primeira resposta aos desastres.

De acordo com o diretor do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Miguel Ivan, será emitido um boletim a cada 12 horas, com atualizações em relação à tempestade subtropical. Ele informou o prognóstico mais provável para os próximos dias. “A tempestade subtropical será mais intensa no Rio Grande do Sul, principalmente na madrugada de terça-feira. Depois, deve se deslocar para o mar. É provável que se restrinja ao alto mar. Mas, se houver uma mudança e os ventos aumentarem, pode seguir para a costa e impactar a vida das pessoas nos próximos três ou quatro dias”, explicou.

A partir de agora, a Defesa Civil Nacional passará a convocar a imprensa em caso de risco ou ocorrência de desastres, para orientar a população sobre os procedimentos a serem tomados.

Assessoria de Comunicação Social
(61) 2034-5498/ 2034-5399
imprensa@mdr.gov.br

Artigo anteriorReceita de sopa de abóbora com arroz
Próximo artigoBOLO SALGADO DE COUVE-FLOR