Polícia investiga agência de viagens por suspeita de estelionato na venda de pacotes no Norte do RS

Mais de 50 pessoas já registraram ocorrência, dizendo que contratos não foram cumpridos por empesa localizada em Casca. Proprietário alega problemas com pandemia e diz que acertará reembolsos em janeiro de 2022.

   Uma agência de viagens da cidade de Casca, no Norte do Rio Grande do Sul, é investigada pela Polícia Civil por suspeita de estelionato na venda de pacotes de turismo. Mais de 50 pessoas de municípios da região registraram ocorrência contra a empresa alegando que contratos não foram cumpridos.

   Segundo Matheus Rebecchi, proprietário da empresa, os clientes devem procurar a agência para solucionar os problemas com as viagens ou pedir o reembolso com a devolução no decorrer de janeiro de 2022.

   “Tivemos situações de dificuldades diante da pandemia que assolou nosso país. Com total transparência estamos aqui para escutá-los e resolver da melhor forma possível, seja com a sua viagem ou seu reembolso, com todo comprometimento que tivemos ao seu lado nesses três anos”, escreveu.

   De acordo com o delegado Thiago Zaidan, 17 contratos firmados com grupos de turistas são investigados. Ao menos cinco casos já são considerados crimes, uma vez que as datas das viagens já passaram.

   “Já procuraram a polícia pessoas de Passo Fundo, pessoas de Camargo, Guaporé, Serafina [Corrêa], Marau. Até de Santa Catarina, Porto Alegre. Porque as negociações eram feitas por redes sociais, por outros meios, não só presencialmente”, relata.

   O engenheiro mecânico Maurício Scorteganha e a esposa compraram um pacote e foram com a família para a Bahia em outubro deste ano. No entanto, na volta, chegaram no aeroporto e descobriram que não tinham como voltar para o RS.

   “No retorno, chegamos no balcão no aeroporto em Ilhéus e nós não tínhamos a passagem de volta. Nos pegamos, então, com 11 pessoas, com quatro crianças, sem ter o retorno aqui para o Rio Grande do Sul. Gastamos quatro vezes mais que o valor do pacote em si”, detalha.

   Sabrina de Toledo da Silva foi uma das clientes que não conseguiu viajar após ter comprado um pacote na empresa. Ela pretendia ir para o Nordeste, onde passaria o Natal com a família e os amigos. A viagem foi frustrada no dia do embarque. Desde então, ela tenta contato com a agência, sem sucesso.

   “Estava com a mala pronta, minhas filhas estavam prontas em casa, com a roupa toda, esperando para nós embarcar e ir para Porto Alegre. Não tinha a passagem”, conta.

   Como as investigações ainda estão iniciando, a polícia busca identificar o tipo de crime e verificar se existiu dolo por parte da agência.

Nota oficial da agência

Viemos através desta nota ressaltar o comprometimento com cada um de Vocês, pois começamos uma Linda História á 3 anos, e hoje nos vimos em situações que fogem de nosso controle, tivemos situações de dificuldades diante da pandemia que assolou nosso País.

Com Total Transparência estamos aqui para escuta-los e resolver da melhor forma possível seja com a sua Viagem ou Seu reembolso, com todo comprometimento que tivemos ao seu lado nesses 3 anos, estaremos agora neste momento.

Pedimos a todos Clientes diante dessa situação nos Chame para conversar afim de solucionarmos todos problemas com a Viagem, ou seu reembolso com a Devolução agora no decorrer do Mês de Janeiro.

Lamentamos todo Ocorrido, que nos entristece Hoje, mas procuramos toda Solução juntamente com seu apoio para Finalizar nossa História com um Final Feliz.

Obrigado a Todos Amigos e Clientes que confiaram em Nós ao longo desses 3 anos.

Fonte: G1.

Artigo anteriorUma pessoa fica ferida após colisão entre três caminhões em Rio Grande
Próximo artigoPavê de Panetone