RS reduz intervalo da dose de reforço para 5 meses e autoriza intercâmbio de vacinas contra a Covid

RS - VACINA-CONTRA-COVID-19 - GERAL - Imagem ilustrativa da vacina do novo coronavírus que causa a Covid-19, vista na cidade de Porto Alegre (RS), quarta-feira, 17. 17/06/2020 - Foto: MIGUEL NORONHA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Quem não recebeu complemento da vacinação por falta de imunizante pode buscar dose de outro fabricante. Mais 367 mil doses da Pfizer são esperadas no fim da tarde desta terça (16).

   A Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgou uma nota técnica, na tarde desta terça-feira (16), na qual autoriza a redução para cinco meses do intervalo entre o esquema básico (duas doses ou dose única) e a dose de reforço para idosos e trabalhadores de saúde. De acordo com a SES, 1,65 milhão de pessoas já estariam aptas a receber a dose de reforço com a nova medida.

   Conforme a nota técnica 19/2021, a dose de reforço poderá ser realizada com vacinas de qualquer laboratório: CoronaVac, AstraZeneca ou Pfizer. Porém, destaca que a da Pfizer é recomendada, preferencialmente, pelo Ministério da Saúde.

   Além disso, o governo federal anunciou que as pessoas que foram imunizadas com a vacina da Janssen irão receber a segunda dose. Cinco meses após o complemento, esse público estará apto para a dose de reforço do imunizante.

   O Ministério da Saúde anunciou o repasse de mais dois lotes com 367.380 doses da Pfizer para o Rio Grande do Sul. Os voos devem chegar à Capital nesta terça, entre 18h30 e 19h.

   Além disso, definiu que “a intercambialidade das vacinas contra a Covid-19 para realização do esquema primário não será mais classificada como erro de imunização”, ou seja, os municípios podem completar o esquema vacinal com o imunizante de outra fabricante caso estejam em falta doses de mesmo laboratório.

   A SES orienta, porém, que a segunda dose deve ser, preferencialmente, com a vacina do mesmo laboratório da primeira, e o intervalo entre ambas indicado em bula deve ser respeitado.

Fonte: G1

Artigo anteriorProjeto faz campanha para distribuir presentes e alimentos para 300 crianças carentes no RS
Próximo artigoCuca de laranja