RS tem estabilidade na ocupação de UTIs, mas com tendência de alta em Porto Alegre

RS tem estabilidade na ocupação de UTIs, mas com tendência de alta em Porto Alegre

Capital tinha 181 internados com Covid-19, segundo maior número do mês, atrás apenas do dia 1º
Com 1.996 pacientes internados em estado grave, a ocupação geral dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) era de 59,8% no Rio Grande do Sul. Seguia em patamar alto e, em Porto Alegre, com tendência de elevação. A Capital tinha 181 internados, segundo maior número do mês de agosto. Além disso, cinco hospitais não haviam atualizado dados no último relatório deste fim de semana.

Apesar da estabilidade do número de hospitalizações, conforme painel da Secretaria Estadual da Saúde (SES), a rede privada operava em patamar elevado, com 653 pacientes e 77,3% de lotação. Na véspera, a ocupação de leitos privados superou 80%.

Os leitos SUS tinham 1.343 pacientes e registravam ocupação de 53,8% de lotação. Até o início da noite, 586 pessoas estavam internadas com diagnóstico de Covid-19, redução de 13,7% na comparação com duas semanas atrás.
Com mais 530 diagnósticos positivos para Covid-19 registrados domingo, o Estado contabiliza 1.400.339 pacientes da doença desde o início da pandemia. Na Capital, de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), 656 pacientes estavam internados em estado grave, dos quais 181 tinham diagnóstico de Covid-19. A taxa geral de ocupação era de 75,32%.
Dos 18 hospitais monitorados pela SMS, o Ernesto Dornelles não tinha leitos disponíveis e operava acima da capacidade, com 117,5% de lotação. Entre as instituições que registravam ocupação superior a 80% estavam Moinhos de Vento (93,43%), Santa Casa (88,39%) e Hospital da Restinga (80%). Cinco hospitais não haviam atualizado as informações: Nossa Senhora da Conceição, Porto Alegre, Vila Nova, Santa Ana e Beneficência Portuguesa.

Fonte: Correio do Povo

Artigo anteriorRISOTO DE BETERRABA
Próximo artigoFRANGO RECHEADO COM RICOTA