Médicos voltarão a atender normalmente no Santa Terezinha

0
960

Completando quase 30 dias de paralisação de parte dos procedimentos, a direção do Hospital Santa Terezinha vem buscando medidas para retomar os serviços. Estavam paralisados deste o último dia 15 de dezembro, as cirurgias oncológicas e eletivas. Os demais atendimentos eram normalmente realizados.

A paralisação ocorreu em função do atraso de pagamento dos profissionais do serviços oncológicos e eletivos do hospital.

Porém, a situação está sendo contornada, disse o atual diretor administrativo do Hospital Santa Terezinha Márcio Antunes Pires, na manhã desta quarta-feira. Márcio salienta que os agendamentos de quase 150 cirurgias/mês eram realizados, mas marcados com um prazo maior para que pudessem ser feitas posteriormente ao fim da paralisação. “Estavam sendo feitas apenas as cirurgias agendadas antes do dia 15 de dezembro, dentro deste período trabalhamos com filas de espera e agendamentos prolongados”, salientou.

Na manhã de ontem, a direção do Hospital juntamente com os médicos do serviço oncológico estiveram reunidos para avaliar a situação e de fato resolve-la. “Chegamos a um acordo, tranquilo e de parceria com os médicos oncologistas. Encontramos uma solução cabível que fosse favorável a ambas as partes. Desta forma retornamos com os serviços oncológicos e eletivos na segunda-feira, 16”, explicou o Diretor Técnico do Hospital Santa Terezinha, Celso Lago.

Ainda segundo ele, os médicos do setor oncológico, Miguel Roismann, Glauco Zago, Marcelo Guolo e Felipe Franciosi entenderam a situação do hospital apresentada pela direção e voltarão a realizar seus trabalhos normalmente. “Estabelecemos um entendimento da situação de ambas as partes e colocamos responsabilidades dos dois lados, desta forma conseguimos reajustar as coisas”, pontuou.

Ainda segundo Lago, a situação será acompanhada pela direção com a realização de encontros e reuniões de pelo menos uma vez ao mês. “Estaremos realizando encontros mensais com os médicos da oncologia para averiguar a situação e ficar a par de todos os problemas”, disse.

Segundo o diretor técnico, o recurso de R$ 1 milhão, repassado pela prefeitura de Erechim, na última semana, foi utilizado para o pagamento dos funcionários, que segundo ele receberam seus salários em dia.

Lago ainda comenta sobre as melhorias que a nova direção está com objetivo de realizar no hospital, como por exemplo, no pronto socorro. “Temos a capacidade de ampliar o atendimento, mas o governo precisa que acompanhar o repasse de verbas para que isso possa ser feito”, finalizou.

Sobre os números das prováveis filas de espera a direção administrativa do Hospital não informou, dizendo que todas as cirurgias que estavam atrasadas serão realizadas neste mês de janeiro.

Deixe uma resposta