Extinguir fundações é colocar o RS de joelhos diante do capital”, afirma Tortelli

0
1346

O projeto de extinção das fundações estaduais (PL 246/2016) foi duramente criticado pelo deputado estadual Altermir Tortelli (PT), na sessão plenária desta terça-feira (20), na Assembleia Legislativa. Conforme o parlamentar, as medidas desmontam as políticas públicas do Rio Grande do Sul, desrespeitam o povo e o Parlamento gaúcho. “É equivocada a visão de fazer política de joelhos, como cordeirinhos do mercado especulativo”, afirmou.

“É inconcebível que, em apenas 30 dias, tenhamos que debater e correr o risco de extinguir seis instituições que têm décadas de relevantes serviços prestados ao Estado, que são referências e têm prestígio e reconhecimento nacional e internacional”, argumentou Altemir Tortelli. De acordo com ele, a matéria simplesmente “empilha, passa a foice e degola todas de uma só vez”.

Para Tortelli, a proposta do Governo Sartori é um “desrespeito com a história do povo gaúcho e com os homens e mulheres que dedicaram suas vidas por mais de 40 anos”, produzindo conhecimento, ciência e pesquisa para a formulação de políticas públicas no Rio Grande do Sul. “É uma visão de Estado medíocre, sem inteligência, sem reconhecimento e sem condições de formular, com base científica, projetos para a própria sociedade”, disse.

“É vergonhoso estarmos diante de um PL que extingue seis importantes instituições ao mesmo tempo, com impacto financeiro muito pequeno”, afirmou o Tortelli. O parlamentar disse que os deputados da base governista não fazem a defesa da extinção das fundações na tribuna da Assembleia, “pois talvez nem conheçam o seu significado para a sociedade gaúcha e brasileira, mas sabem bem que, por trás desse projeto, está a intenção de colocar o Rio Grande do Sul de joelhos diante do capital e do mercado”.

Deixe uma resposta