Aspemate analisa momento atual da erva-mate em Erechim

0
995

Os produtores de erva-mate continuam descontes com o baixo preço pago pela arroba do produto no pé pelas indústrias da região do Alto Uruguai, já que o custo de produção supera R$ 5,00 por arroba e alguns estão recebendo menos que esse valor e prometem mobilização para o mês de janeiro, caso não sejam atendidos em suas reivindicações. A decisão foi tomada em reunião da Associação dos Produtores de Erva-Mate do Alto Uruguai Gaúcho (Aspemate) realizada nesta segunda-feira (19/12) com a participação de Emater/RS-Ascar, representações da Fetraf, Associação dos Municípios do Alto Uruguai (Amau), Instituto Federal da Fronteira Sul e Instituto Brasileiro da Erva-Mate (Ibramate).

A reunião foi coordenada pelo agricultor e vice-presidente da Aspemate, Dilei Anzolin, que juntamente com os dirigentes Lino Morawski, Hilario Poletto, defenderam a necessidade de reivindicação. O assistente técnico regional em Erva-Mate da Emater/RS-Ascar, Valdir Zonin, juntamente com os técnicos dos Escritórios Municipais de Erechim e de Áurea, Adriano Szynkaruk, e Samuel Sperandio, reforçaram a importância do Programa Estadual de Melhoria da Qualidade da Erva-Mate, que está sendo elaborado, no sentido de do cumprimento da legislação (rigorosa no uso de agroquímicos) e também para melhorar a competitividade dos ervais plantados, como por exemplo, a observação do período mínimo de 18 meses entre intervalo de corte, sombreamento, cobertura verde, entre outras recomendações.

Já os coordenadores da Fetag defenderam a proposta, também respaldada pelo diretor do Ibramate, Roberto Ferron, de estabelecer uma pauta mínima para ser apresentada às Indústrias Ervateiras da região.

Deixe uma resposta