Governo já considera que votação para pec dos gastos ficará para 2017

Avaliação feita por assessores do presidente Michel Temer é que o embate entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o Supremo Tribunal Federal agravará a crise política no país, o que deve piorar as previsões de recuperação da economia e afetar a tramitação de pautas governistas.

O Palácio do Planalto acha pouco provável que Renan Calheiros consiga reverter a decisão no plenário da Suprema Corte, em julgamento aguardado para esta quarta-feira (7), e admite que o segundo turno da votação da proposta dos teto de gastos públicos pode ficar apenas para 2017.

Em uma última tentativa de manter a votação para a semana que vem, Temer se reuniu nesta terça-feira (6) com Renan no Palácio do Planalto e pretende se encontrar na quarta-feira com Jorge Viana. Segundo auxiliares e assessores presidenciais, ele está disposto a negociar iniciativas de interesse dos partidos de oposição caso Viana se comprometa a manter o cronograma de votação da proposta

ViaBrasil 247
Artigo anteriorTrabalhador terá de contribuir 49 anos para receber aposentadoria integral
Próximo artigoSTF deve julgar hoje direito ao aborto em casos de infecção por zika