Mudanças previstas para os párocos regionais

0
1293

Bispos, padres e diáconos estudam conjuntura e nota da CNBB sobre a PEC 241: Dom José, Dom Girônimo, os padres e os diáconos da Diocese realizaram sua última reunião do ano nesta terça-feira, no Seminário de Fátima. A pauta do dia contemplou momento de oração, de estudo, de encaminhamentos para o próximo ano, avaliação da Romaria, prestação de contas, diversas comunicações, entre elas as transferências a serem efetuadas a partir de janeiro vindouro, a iniciação à vida cristã de inspiração catecumenal, especialmente na Área Pastoral de Erechim, apresentação do último diácono permanente ordenado na Diocese, Ivanir Copatti, de Estação, aspectos da Pastoral Presbiteral.
Transferências para o próximo ano: No início da reunião, Dom José pediu a leitura de comunicado que está enviando aos diocesanos a respeito das alterações de funções de padres na Diocese:

  • Pe. Valtuir Bolzan, Pároco da Paróquia São Caetano, Severiano de Almeida;
  • Pe. André Ricardo Lopes, Pároco da Paróquia N. Sra. da Salette, Bairro Três Vendas, Erechim;
  • Pe. Gladir Giacomel, Vigário Paroquial da Paróquia N. Sra. da Salette, Bairro Três Vendas, Erechim;
  • Pe. Mauro Parcianello, Pároco da Paróquia São Roque, Benjamin Constant do Sul;
  • Pe. Dirceu Balestrin, Pároco da Paróquia São Tiago, Aratiba e Diretor da Rádio Aratiba da mesma cidade;
  • Pe. Maicon Malacarne, Coordenador Diocesano de Pastoral, continuando como Vigário Paroquial da Catedral e Assessor Diocesano da Pastoral da Juventude;
  • Pe. Antonio Miro Serraglio, Pároco da Paróquia N. Sra. de Fátima, Entre Rios do Sul;
  • Pe. Jair Carlesso, Pároco da Paróquia N. Sra. do Rosário, Barão de Cotegipe;
  • Pe. Jóssi Golembiewski, Vigário Paroquial da Paróquia N. Sra. do Rosário, Barão de Cotegipe;
  • Pe. José Carlos Sala, Pároco da Paróquia Santa Luzia, Atlântico, Erechim;
  • Pe. Cleocir Bonetti, Vigário Geral da Diocese e Coordenador da Cúria Diocesana;
  • Pe. Adelar Pedro De David, continuará atendendo a capelania do Hospital de Caridade, atuará nas pastorais sociais, na pastoral carcerária e estará à disposição para solicitações de ajuda em paróquias, conforme suas possibilidades.
  • Colaboradores em Paróquias, conforme as possibilidades em suas funções:
  • Pe. Cleocir Bonetti, na Paróquia Santa Luzia, Atlântico, Erechim;
  • Pe. Clair Favreto, na Paróquia Imaculada Conceição, Getúlio Vargas;
  • Pe. Antonio Valentini Neto, na Paróquia São Pedro, Erechim.

No comunicado, o Bispo agradece aos padres pelo trabalho realizado nas paróquias em que atuam e a disponibilidade em acolher nova designação. Diz também contar com a compreensão dos fiéis das paróquias em que se encontram e a sua acolhida e apoio aos designados para elas.
Análise de conjuntura e nota da CNBB sobre a PEC 241: Para o tempo dedicado ao estudo, Dom José apresentou análise de conjuntura atual, servindo-se de subsídio de Maria Lúcia Fatorelli, utilizado na reunião do Conselho Permanente da CNBB de 18 a 20 de outubro, em Brasília, da qual participou. Maria Lúcia Fatorelli, é auditora fiscal aposentada da Receita Federal, Coordenadora do Movimento Auditoria Cidadã da Dívida do Brasil, integrante da Comissão Internacional instituída pelo Parlamento da Grécia para auditar a dívida daquele País. Anteriormente, integrou comissão semelhante no Equador. Falou das imensas potencialidades do Brasil e o cenário atual contrastante de crises em diversos aspectos. Sobressai um modelo econômico concentrador, modelo tributário injusto, com especulação da dívida pública e política monetária suicida. A PEC 241, que limita os gastos públicos, propalada como solução da crise, na verdade, não a resolverá. Sobre a mesma, há diversos questionamentos: que gastos precisam ser controlados? O que está por trás dela? Por que não se impõe limites aos juros da dívida? Ela limita benefícios sociais, especialmente em saúde e educação, não em outros fatores. Em vista disso, o Conselho Permanente da CNBB, na referida reunião, emitiu nota, considerando que a mencionada Proposta de Emenda à Constituição é injusta e seletiva, elege os trabalhadores e pobres para pagar a conta do descontrole dos gastos, supervaloriza o mercado em prejuízo do Estado e afronta a Constituição Cidadã de 1988.
Avaliação da Romaria e propostas para o Ano do Centenário das Aparições de Fátima: entre outros, foram citados como pontos positivos; a ligação com o contexto do Jubileu da Misericórdia; grande participação do povo; mais confissões do que no ano anterior; momento de intensa comunhão diocesana; a preparação das celebrações; a oração e os cantos, especialmente o hino; muitas pessoas acompanham pelos meios de comunicação; homilias objetivas.

Sugestões para o Ano Mariano: a partir de janeiro, novena permanente a N. Sra. de Fátima em todas as quartas-feiras; nos dias 13 de maio a outubro, missa às 14, no Santuário, com devoções especiais e às 20h, procissão da Catedral ao Santuário e missa na esplanada; contemplar o Ano Mariano em todas as atividades paroquiais e diocesanas; manter ampla divulgação; realizar o curso diocesano dos padres sobre Nossa Senhora.
Prestação de contas: Ildo Benincá, ecônomo da Diocese, e Juliano Petzhold, da equipe de administração, apresentaram relatório contábil da Cúria Diocesana, do Seminário, das coletas, da romaria e do projeto de revitalização do Santuário. Alguns dados deste projeto: Os recursos obtidos até agora são de R$ 255.307,42, provenientes dos carnês, contribuições espontâneas de pessoas físicas e jurídicas, promoções de comunidades e outros. Os investimentos até o momento foram de R$ 205.702,87, em calçadas, paisagismo, iluminação, material de divulgação, projetos e acompanhamento técnico. Há R$ 49.604,55 disponíveis em bancos. Até o final do ano, será feita uma calçada menor à direita de quem entra na esplanada até o Santuário, será completada a iluminação e a sonorização externa. Em relação ao demonstrativo financeiro da Romaria, o resultado líquido final foi de R$ 165.299,32.

Deixe uma resposta