Produtores de soja do RS podem renegociar dívidas

Colheita de soja. Foto Jonas Oliveira/ANPr

Os produtores de soja do Rio Grande do Sul podem renegociar as dívidas de custeio e investimento referentes à safra 2015/2016 e anteriores. Esta era uma reivindicação do setor produtivo ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que a encaminhou ao Ministério da Fazenda. A resolução foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) no dia 28 de julho.
Na safra passada, os sojicultores gaúchos tiveram perdas na lavoura por problemas climáticos, o que comprometeu a capacidade de pagamento. “Se o produtor não colheu o esperado, como honraria seus compromissos? A prorrogação das dívidas é importante para o agricultor continuar na atividade, sobretudo num momento de dificuldades financeiras do país”, diz o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller.

A renegociação se aplica aos municípios do Rio Grande do Sul onde tenha sido decretada situação de emergência ou estado de calamidade pública por causa de chuvas intensas, alagamentos, enxurradas, inundações e vendavais, a partir de setembro do ano passado.

A medida beneficia produtores e cooperativas. O pedido de prorrogação deve ser formalizado até 30 de dezembro deste ano junto às instituições financeiras. As dívidas de custeio da safra 2015/2016 poderão ser pagas em até cinco parcelas anuais. No caso dos débitos de custeio que já tinham sido prorrogados e de investimento, o pagamento poderá ser feito um ano depois do vencimento do contrato de financiamento.

Artigo anteriorProdução de laranja do Alto Uruguai poderá ser utilizada na fabricação de óleo essencial
Próximo artigoComitê vai discutir a base curricular comum