Vitória sobre o Flamengo abriu a semana de maratona e de clássicos do Inter

0
447

Antes da maratona de jogos, a vitória no Campeonato BrasileiroO 2 a 1 sobre o Flamengo deu ao Inter um novo alento na abertura da fase mais dura da temporada até agora: a sequência de jogos contra Flamengo, Palmeiras, River Plate e Cruzeiro, além do primeiro mata-mata das oitavas de final da Copa do Brasil, cujo adversário será conhecido em sorteio nesta quinta-feira, na sede da CBF.

A má impressão deixada pelo time B, ao perder na estreia do Brasileirão para a Chapecoense, foi apagada com uma atuação consistente diante do Flamengo e a vitória com gols em espanhol de Paolo Guerrero e de Martín Sarrafiore. Ainda que a equipe de Odair Hellmann tenha recuado como de costume — permitido o avanço do adversário, até o empate —, os ingressos de Guilherme Parede e de Sarrafiore no segundo tempo deram nova força ofensiva ao time.

— Nosso planejamento foi o correto — disse o vice de futebol do Inter, Roberto Melo, ao comentar a utilização da equipe B em Chapecó. — O time não teria tido a mesma energia diante do Flamengo se tivesse usado titulares em Chapecó. Não teria condições de ter atuado bem diante da Chapecoense, depois de voltar de Lima, e ainda teríamos prejuízos nessa sequência que virá. Daí, esta decisão foi a mais correta — acrescentou o dirigente.

Elogiado por Roberto Melo, que citou Guerrero como “convicção da direção, e não uma aposta”, o camisa 9 comemorou a vitória com mais um gol seu (já fez quatro pelo Inter).

— Há todo um sentimento, porque joguei três anos lá (no Flamengo). Recebi muito carinho da torcida. Mas, em campo, se esquece tudo — disse Guerrero, que não comemorou o gol sobre o ex-clube.

Martín Sarrafiore, autor do gol da vitória, havia perdido uma grande chance minutos antes de fazer o 2 a 1. E explicou:

— Estou feliz, mas com sabor amargo por não ter entrado rápido no ritmo do jogo. Me custou um pouco, mas fui de menor a maior. Mas estou feliz porque os meus chutes estão saindo bem.

Odair Hellmann destacou a atuação do elenco, a vitória sobre o bom time do Flamengo, e elogiou Guerrero e Sarrafiore — ainda que não tenha confirmado se o jovem argentino passará a ser titular.

Félix Zucco / Agencia RBS
Presente e passado: Odair e Abel se cumprimentam após o clássicoFélix Zucco / Agencia RBS

— É sempre importante vencer em casa. Fizemos um campeonato espetacular em casa no ano passado. Começaríamos dentro de casa e precisávamos mostrar essa força novamente. O Flamengo também criou as suas oportunidades porque é um time de alto nível, e um dos postulantes ao título. Conseguir produzir em alto nível e vencer o Flamengo é para fechar o dia com chave de outro — afirmou Odair. — Guerrero tem imposição, não é a só bola limpa que ele consegue dar. É a bola mais difícil também, e isto é importante para o desafogo da equipe. O Sarrafiore está evoluindo a cada dia mais, já se desenvolveu muito desde o ano passado — completou o treinador colorado.

Questionado sobre o futuro do rodízio na equipe principal, o treinador afirmou que o plano é utilizar o máximo de titulares possível:

— Temos Palmeiras, River e Cruzeiro agora. Vamos levar a maior parte do grupo para estes jogos e fazer as substituições necessárias. A partir de agora, as mudanças serão pontuais e específicas.

A direção tentará encaminhar ainda antes do final de semana a renovação de contrato de Nico López, cujo vínculo se encerra em 2020, o ampliando até 2023.

— Temos essa expectativa, sim (de anunciar em breve a renovação). Com essa sequência de jogos das finais do Campeonato Gaúcho e essa viagem, a gente acabou segurando um pouquinho. Já temos agendada uma conversa para amanhã (quinta) e vamos ver se conseguimos encaminhar a renovação no Nico, que é um jogador importante para nós — comentou Roberto Melo.

Como de costume, o técnico Abel Braga foi ovacionado pelos mais de 40 mil torcedores presentes ao Beira-Rio. O campeão da Libertadores e do Mundial de 2006 elogiou a atuação do Inter e falou com saudades do seu ex-clube:

— O sentimento de voltar ao Beira-Rio é inexplicável. É o estádio mais lindo do país, não tem Maracanã, Brasília (o Estádio Mané Garrincha), não há nada igual. Fora do campo, foi uma alegria enorme rever um monte de pessoas queridas, com quem convivi muitos anos. Gentil (roupeiro), Cristiano Nunes (preparador físico), Papito (o treinador Odair Hellmann)… O Inter está muito bem treinado e tranquilo na Libertadores. O Odair me falou: “Tenho que conseguir pelo menos um empate lá (na Argentina)“. E eu disse: “Imagina se você tivesse que ganhar do River…”.

No sábado, o Inter vai ao Allianz Parque enfrentar o Palmeiras de Felipão. Alguns jogadores serão reavaliados para que Odair Hellmann possa escalar a equipe, mas a tendência é atuar com todos os titulares possíveis.

Fonte: Gaúcha ZH

Deixe uma resposta