‘Vaquinha’ ultrapassa R$ 113 mil e guardador de carros que ajudou idosa se emociona

0
148

Em apenas 24 horas, a “vaquinha” virtual organizada para ajudar o guardador de carros Varlei Rocha Alves, o Capoeira, a comprar uma casa, ultrapassou a meta inicial, de R$ 40 mil. Graças à generosidade de quem se comoveu com a gentileza dele —um vídeo em que Capoeira improvisa uma ponte com caixotes para uma idosa atravessar uma rua alagada ganhou as redes sociais —, foram arrecadados R$ 113 mil. Surpreso com a repercussão do caso, o guardador nesta quinta-feira classificava a reviravolta em sua vida como um sonho.

— Fico muito contente. Não dá para acreditar. Parece que estou sonhando. Não imaginava que Deus fizesse essa estrela brilhar para mim — disse, emocionado, no programa Mais Você, da TV Globo, ao ficar sabendo do valor arrecadado.

Para Renata Rocha, irmã de Capoeira, a “vaquinha” é um presente e tanto para o flanelinha, que, analfabeto, sempre trabalhou duro para conseguir manter o filho, Darlei, de 10 anos. O menino ficou órfão muito novo, com apenas 2 anos, quando a mãe foi atropelada na Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, perto do local onde Capoeira bate ponto todos os dias, faça chuva ou faça sol, a Rua Ministro Viveiros de Castro.

Barraco de madeira

Foi lá, aliás, o local onde ele ajudou a idosa Anuzia Corrêa, de 86 anos, a atravessar diversas poças d’água, ganhando a simpatia dos internautas.

— Ele merece isso tudo. Nós somos de uma família muito humilde, moramos num barraco de madeira. Ele sempre foi essa pessoa trabalhadora, sempre sustentou o filho dele, sempre ajudou a todos aqui com o pouco que tinha. Às vezes, chegava em casa com R$ 200 e saía distribuindo para todos nós — afirmou Renata, contando ainda que uma outra irmã, Claudilene, fica com o filho do guardador para que Capoeira possa trabalhar.

Renata diz não ter dúvida de que os R$ 113 mil vão ser muito bem empregados por Capoeira, que nem sempre consegue dinheiro, nas ruas de Copacabana, para voltar para casa, na Pavuna. Nesses dias, a solução é dormir na calçada.

— Esta arrecadação vai ajudar muito. Ele sempre sonhou em ter uma casinha. Onde ele mora é um barraco, dividido entre ele, o filho e uma irmã.

Aos 50 anos, Varlei, ou o Capoeira, se emociona com o carinho que tem recebido Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo

O gesto de solidariedade de Capoeira chegou longe. É em São Paulo que mora o organizador da “vaquinha” virtual, Vicente Carvalho. Nesta quinta, ele disse, ao “Jornal Nacional”, da TV Globo, que ficou emocionado coma a atitude do guardador.

— São pequenos gestos que mudam o mundo. A partir de pequenas coisas se causa um grande impacto. E foi exatamente o que aconteceu — disse Vicente, em ligação de vídeo a Capoeira, durante a reportagem.

Lágrimas de alegria

Emocionado, o guardador de carros disse que nunca se sentiu tão querido:

— Eu nunca me senti assim, querido por todo mundo. Eu me sentia uma pessoa sozinha no mundo. Eu e meu filho. Estou me sentindo um cantor subindo no palco, dançando, é muita emoção. Graças a Deus, você realizou muitos sonhos na minha vida. Principalmente para o meu filho. Se eu morrer, ele vai ter uma casa para ele — disse Capoeira, nesta quinta-feira, sem conseguir conter as lágrimas.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta