Polícia prende quadrilha de assaltantes de banco em Erechim

0
151

Polícia prende quadrilha de assaltantes de banco em Erechim
Ao todo sete integrantes com armas, roupas e dinheiro levados nos ataques foram capturados
A Polícia Civil de Erechim prendeu na tarde desta terça-feira (11), uma quadrilha responsável por assaltos em lojas e agências bancárias na região Norte do Estado. Os últimos alvos do grupo criminoso, segundo a polícia, haviam sido um correspondente bancário em Viadutos e a agência da cooperativa de crédito Cresol localizada no centro de Erechim. Junto com os bandidos a polícia encontrou armas, dinheiro e roupas utilizadas nos ataques.

De acordo com o delegado Gustavo Vilasbôas Ceccon, titular da Defrec, que coordenou a operação conjuntamente com o delegado Jairo Duarte e a delegada Diana Zanatta,cinco assaltantes estavam em um apartamento alugado no início do ano no centro de Erechim. O imóvel residencial localizado na esquina das ruas Polônia com Aratiba, Bairro Ipiranga, era utilizado como esconderijo da quadrilha. “Neste local foram encontradas quatro pistolas que possivelmente foram utilizadas no assalto, munição, documentos falsificados e cerca de R$ 42 mil em dinheiro. Acreditamos que este valor seja quase todo vindo do assalto feito ao banco da Cresol, devido a proximidade do fato”, destacou Ceccon.
Expansão
Segundo o delegado Jader Duarte, titular da 24° Delegacia da Regional da Polícia Civil (24° DPR) de Soledade a quadrilha estava em expansão. “Eles começaram furtando lojas de roupas e roubando carros em Soledade, mas já estavam passando para lotéricas e bancos. As investigações apontaram que este grupo vinha seguindo um tática de atacar em cidades onde não eram conhecidos pela polícia, desta forma acreditamos que eles tenham feitos outros ataques, até mesmo nos estados de Santa Catarina e Paraná, por isso o nome da operação Nômades”, ressaltou o policial.
O delegado também destaca que a quadrilha vinha investindo em potencial de fogo, além de buscar novos integrantes com objetivo de realizar ataques maiores e mais audaciosos. “Pela forma de assaltos acreditamos que eles tenham envolvimento com assaltos a bancos em Santa Cecília do Sul, Ibirapuitã, Passo Fundo e outros municípios da região Norte”, pontua Duarte. Na região de Erechim, além de Viadutos a polícia também acredita que o grupo tenha atacado estabelecimentos em Aratiba.
Apreensões e Prisões
A delegada regional de Erechim, Diana Zanatta, que também é a titular de Viadutos e solicitou os mandatos autorizados pelo juiz Fernando Vieira dos Santos, titular da Comarca de Gaurama, destacou o resultado da operação. “Essa parceria entre as policias e também o poder Judiciário, foi fundamental para o sucesso desta operação. Além de Erechim e Soledade, também participaram policiais de Viadutos que investigavam o ataque desta quadrilha”, destaca.
Além de dois revólveres calibre 38 e duas pistolas, munição, dinheiro, roupas utilizadas nos ataques como toucas ninjas, cheques roubados celulares, relógios e objetos comprados com o dinheiro dos roubos a operação também apreendeu três veículos, um Ford/Focus encontrado pela Brigada Militar na tarde da última segunda-feira (10) um GM/Astra de cor verde. “Este carro pertencia a um dos suspeitos do grupo e após o assalto abandonou o Ford/Focus e fugiu neste Astra que agora foi apreendido”, destacou Ceccon.
Ao todo sete suspeitos foram presos, três deles foragidos da Justiça. Os detidos foram identificados como: Jhonatan Maicon Matarello (23), Fabiano Neves Rocha (27) – ambos de Erechim e com passagens por furto e receptação; Anael Camargo dos Santos (25), João Everson Gonçalves Rosa (27) – foragidos da Justiça de Passo Fundo e com passagens por roubo, tráfico e receptação; Osni Pedro dos Santos (20) de Erechim, Leonardo Antonio Grotto (19) de Gaurama, mas foragido da Justiça de Passo Fundo e Luan Carlos Verones Bohm (27), morador de Viadutos.
Após prestarem depoimentos todos os detidos foram encaminhados para o Presídio Estadual de Erechim, local que devem ficar à disposição da Justiça. Segundo Ceccon, eles foram presos em flagrante e agora devem responder a processos por “roubo, formação de quadrilha, posse de arma, falsificação de documentos e roubo a banco”, finalizou o policial.

Deixe uma resposta