Plantas voluntárias podem diminuir produtividade da soja

0
27

Apesar da alta tecnologia em maquinário e genética, em todas as safras tem sido uma constante a permanência de plantas voluntárias de milho. Ou seja, a colheita não ocorre 100% e sempre restam espigas na lavoura que ficam germinando no solo e, estas plantas acabam competindo com a soja plantada, reduzindo a produtividade da oleaginosa.

De acordo com o gerente de clientes da Bayer, Cassiano Medeiros, a situação está mais difícil de ser controlada porque o cereal é resistente ao glifosato e para o produtor obter todo potencial produtivo da soja, é preciso fazer um manejo pré-plantio, visando eliminar o milho voluntário para que ele não venha competir e retirar água e nutrientes da soja. “A perda da produtividade da soja depende do nível de infestação de plantas voluntárias, mas uma planta por metro quadrado pode ocasionar perdas de 10% a 15% em produtividade”, diz.

Medeiros salienta que é necessário que o agricultor faça esse controle porque estas plantas podem vir a contribuir para a resistência de pragas.

Como o milho é resistente ao glifosato, a recomendação tem sido o uso de herbicidas graminicidas pós-emergentes em soja, prática agrícola que pode ser utilizada, seja em milho voluntário de lavoura convencional ou RR. O ideal é fazer o controle antes da semeadura ou logo após a emergência da soja, quando as plantas do milho ainda estão pequenas. Uma opção é o uso do defensivo Podium EW.

A produtora Renata Arioli, tem área de cultivo em Quatro Irmãos e Jacutinga. Nesta safra ela plantou 170 hectares de milho e deve destinar a soja 900 hectares, que está em fase de semeadura. Renata comenta que pós-colheita, os grãos de milho que caem da colheitadeira e as espigas, rebrotam e acabam competindo com as plantas que estão na lavoura. “Esse milho que emerge acaba se tornando uma planta daninha quando é visto dentro da lavoura de outra cultura, como a soja, por exemplo. Neste caso, é necessário eliminá-lo, pois ele acaba competindo com a oleaginosa. E é preciso utilizar herbicidas graminicidas pós-emergentes, que desta forma há resultados positivos”, diz. Renata salienta que a cada duas plantas voluntárias há perda de 40% na produtividade de soja.

Fonte: Jornal Bom Dia

Deixe uma resposta