Governo já considera que votação para pec dos gastos ficará para 2017

0
962

Avaliação feita por assessores do presidente Michel Temer é que o embate entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o Supremo Tribunal Federal agravará a crise política no país, o que deve piorar as previsões de recuperação da economia e afetar a tramitação de pautas governistas.

O Palácio do Planalto acha pouco provável que Renan Calheiros consiga reverter a decisão no plenário da Suprema Corte, em julgamento aguardado para esta quarta-feira (7), e admite que o segundo turno da votação da proposta dos teto de gastos públicos pode ficar apenas para 2017.

Em uma última tentativa de manter a votação para a semana que vem, Temer se reuniu nesta terça-feira (6) com Renan no Palácio do Planalto e pretende se encontrar na quarta-feira com Jorge Viana. Segundo auxiliares e assessores presidenciais, ele está disposto a negociar iniciativas de interesse dos partidos de oposição caso Viana se comprometa a manter o cronograma de votação da proposta

Deixe uma resposta