Governador eleito, Leite afirma: “Quero colaborar, sobretudo, na reconciliação do país”

0
28

Antes de sua primeira coletiva de imprensa, em Porto Alegre, o governador eleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), fez um discurso de múltiplos agradecimentos, um pouco de mágoa pelas baixarias da campanha e acenos em direção a atores importantes para o sucesso do próximo mandato no Palácio Piratini, como os servidores públicos do Estado e o presidente eleito, Jair Bolsonaro, do PSL. Mais cedo, havia feito um breve pronunciamento em Pelotas, onde prometeu “buscar honrar” o voto dos gaúchos que o escolheram para governar o Estado pelos próximos quatro anos.

Depois de lembrar de sua primeira campanha a vereador, aos 19 anos, com o custo de R$ 5 mil e muita ajuda da família, Leite fez um agradecimento em especial:

— Eu quero agradecer ao povo especialmente da minha querida Pelotas, em que fiz 90,3% dos votos. O que eu considero mais do que um voto de confiança, porque me conhecem muito bem — declarou o tucano, sobre a cidade em que foi prefeito de 2013 a 2016.

Leite citou duas vezes momentos da campanha que classificou como “desonestidade, maldade, fake news, boatos…” e declarou se orgulhar de fazer uma campanha “limpa, sem ataques”. Todavia, ao agradecer os cumprimentos do adversário José Ivo Sartori (MDB), Leite falou em “águas passadas”:

— Não fazemos política com mágoas, olhamos pra frente.

O governador eleito cumprimentou um a um os partidos que fizeram parte de sua coligação no primeiro e no segundo turno, e citou nominalmente companheiros da coligação que abdicaram de “projetos pessoais” em prol da chapa encabeçada por ele: o agora vice-governador eleito, Delegado Ranolfo (PTB), e o senador eleito Luis Carlos Heinze (PP).

Ao falar sobre prioridades nas áreas de segurança, saúde e educação, Leite acenou aos servidores públicos, declarando ter como “grande meta” viabilizar o pagamento em dia dos vencimentos ao longo do primeiro ano. Mas prometeu não se pautar apenas pelo caixa do Estado:

— Governar o Estado é mais do que governar o caixa do governo. É oferecer oportunidades para que os talentos se transformem em riquezas.

Por fim, Leite cumprimentou o presidente eleito Jair Bolsonaro. Na campanha, ele fora criticado pela timidez do apoio ao então presidenciável do PSL:

— Quero saudar o presidente eleito Jair Bolsonaro. O país tomou a sua decisão, ela tem de ser respeiatada por todos. Desejamos sucesso ao presidente eleito e quero colaborar, sobretudo, na reconciliação do país. A decisão está tomada e temos todos que ajudar.

Antes de abrir os microfones para perguntas dos jornalistas, terminou seu pronunciamento oferecendo doces de Pelotas aos presentes.

Fonte: Rádio Aratiba

Deixe uma resposta