Corpo de Bombeiros alerta para risco de afogamento

0
540

O crescimento do número de afogamentos em todo o Estado vem preocupando as autoridades. Apenas nos primeiros dez dias de 2017, já foram registrados 11 casos de mortes de banhistas. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, neste ano as situações não estão ocorrendo apenas nas partes litorâneas, mas também em outros pontos no interior procurados pelos banhistas, como rios, piscinas, barragens ou açudes.

De acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros de Erechim, Alessandro Bauer, todos os banhistas devem ter uma atenção especial neste período, principalmente os que procuram espaços para se refrescar na companhia de crianças. “Nossa orientação para que os pais mantenham vigilância permanente junto aos seus filhos, evitando que as crianças e adolescentes vão a algum local em que não consigam voltar, principalmente se houver correnteza ou profundidade superior ao tamanho do banhista”, explica.

Segundo apontamentos do Corpo de Bombeiros com o Ministério da Saúde, as crianças representam 65% dos afogamentos registrados em todo o Brasil, que registra uma média de 21 mortes por afogamento diariamente. “Isso se deve à falta de atenção dos adultos que as deixam sozinhas, a sua curiosidade natural pela água, por não saberem nadar e ainda por entrarem em estado de euforia e pânico mais facilmente em uma situação dentro da água”, destaca Bauer.

O capitão também explica que os adolescentes são as vítimas mais frequentes de afogamento. “Muitas vezes levados pelo excesso de confiança, pela ingestão de bebidas alcoólicas antes de irem para a água ou mesmo por não saberem nadar e por subestimarem o perigo existente no rio, lago ou piscina”, pontua.

Bauer,  destaca que é importante que todos os banhistas não entrem em locais desconhecidos para nadar.  “Principalmente se estes estão sob ingestão de álcool ou locais inapropriados como rios, lagos, etc. pratica da natação deve ser feita, essencialmente, em piscinas e na presença de outras pessoas”, finaliza.

Veja  algumas recomendações simples do Corpo de Bombeiros que poderão garantir o veraneio tranquilo:

  • Evite ingerir bebida alcoólica antes ou durante o momento em que for entrar na água;
  • Quando entrar na água, evite afastar-se da margem;
  • Não mergulhar em águas desconhecidas. Procure sempre águas rasas e sem correnteza.
  • A vigilância das crianças precisa ser atenta e permanente, pois um descuido é suficiente para que ela desapareça em algum local que seja mais profundo que sua estatura.
  • Se for praticar esporte aquático, use sempre o colete flutuante “salva-vidas”
  • Nunca se banhe sem o acompanhamento de outra pessoa. Procure locais onde possa haver ajuda especializada ou serviço de salva-vidas;
  • Acredite que quando você está na água, também pode tornar-se vítima de um afogamento. Por melhor nadador que seja, você pode ter um mal súbito ou algum problema físico que o impeça de nadar até as margens.
  • Não tente salvar pessoas se não for habilitado para tal, preferindo lançar flutuadores ou cordas para efetuar a retirada da pessoa da água;
  • Somente conduza ou ande em embarcações que ofereçam segurança, com coletes salva-vidas para todos os ocupantes e com pessoa habilitada legalmente para essa atividade.
  • A negligência, o descuido e o excesso de confiança na água, sempre geram riscos à vida do banhista.

Deixe uma resposta