Bolsonaro nega envolvimento no caso Marielle e ataca Witzel e Globo

0
79

Bastante exaltado, o presidente Jair Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo no Facebook para falar sob re a reportagem da TV Globo que cita seu nome na investigação do caso Marielle Franco. A Polícia Civil do Rio de Janeiro teve acesso ao caderno de visitas do condomínio Vivendas da Barra, na Zona Oeste do Rio, onde têm casa o presidente e o ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado da morte da vereadora do PSOL. No dia 14 março de 2018, horas antes do crime, o ex-PM Élcio Queiroz, outro suspeito do crime, anunciou na portaria do condomínio que iria visitar Jair Bolsonaro e acabou indo até a casa de Lessa, segundo informações divulgadas pelo Jornal Nacional nesta terça-feira.

Ele reforçou que estava em Brasília no dia 14 de março de 2018 e registrou presença em duas sessões na Câmara, onde exercia o mandato de deputado federal, versão também mostrada pela reportagem da TV Globo. “O que cheira isso aqui, o que parece é que ou o porteiro mentiu, ou induziram o porteiro a cometer um falso testemunho, ou escreveram algo no inquérito que o porteiro não leu e assinou embaixo em confiança ao delegado, ou a quem que foi ouvir na portaria. Qual intenção disso tudo? A intenção é sempre a mesma. O tempo todo ficam em cima da minha vida, dos meus filhos. Segundo a reportagem, isso teria acontecido no dia 14 de março do ano passado, por volta das 17h10. A Rede Globo teve acesso ao processo, que corre em segredo de Justiça, e quem vazou isso para a televisão foi o senhor governador Witzel. Agora, nesse mesmo dia, 14 de março, eu tenho registrado no painel da Câmara as minhas digitais, à 17h41 e 19h36. Ou seja, eu não estava no Rio de Janeiro. Agora me surpreende, o porteiro, segundo relatos, dizer que nesse horário ligou para a minha casa”.

Bolsonaro afirmou que não conhecia Marielle Franco e que nunca teve motivo para querer matar alguém. Insinuou ainda que o porteiro poderia ter assinado o depoimento sem ler o conteúdo.

Na live, feita por volta das 4h, horário de Riad, Bolsonaro criticou a imprensa, especialmente a TV Globo, não só pela reportagem feita nesta terça-feira, mas também por matérias que envolvem seus familiares. O presidente também atacou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, dizendo que ele teria vazado essas informações para a mídia. Na opinião de Bolsonaro, Witzel está de olho na disputa presidencial de 2022. “O senhor só se elegeu governador porque ficou o tempo todo colado com o Flávio Bolsonaro, meu filho. E a primeira coisa que o senhor fez foi se tornar inimigo dele, para concorrer à presidência em 2022”.

Deixe uma resposta