Aberta safra da laranja no Alto Uruguai

0
56

Aberta safra da laranja no Alto Uruguai

Mais de cem pessoas, entre produtores, representantes da cadeia produtiva da citricultura e autoridades, participaram da abertura oficial da 4ª edição da Colheita da Safra da Laranja Valência, sediada em Erval Grande, na propriedade da família Komosinski, localizada na comunidade de Rui Barbosa, na quinta-feira (31).

Na propriedade, técnicos e produtores colheram a fruta, que foi pesada para e estimar a produção média da região do Alto Uruguai, bem como averiguada o grau brix da fruta. Nesta amostra, o resultado ficou em 62,6 toneladas/hectare. “Desta forma, temos o indicativo da produção da região para a safra 2017”, observou o assistente técnico regional em Sistemas de Produção Vegetal da Emater/ de Erechim, agrônomo Nilton Cipriano Dutra de Souza.

O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar e prefeitura de Erval Grande, através da Secretaria da Agricultura, e o Comitê Técnico Setorial da Citricultura do Alto Uruguai, com apoio da Câmara de Vereadores, Paróquia Nossa Senhora da Glória, Cooperval, Sicredi, Cresol e Banrisul. Para o próximo ano, o município de Itatiba do Sul sediará a 5ª edição da abertura oficial da colheita da safra da laranja Valência.

A atividade envolveu técnicos da Emater e produtores dos municípios de Erval Grande, Aratiba, Barra do Rio Azul, Severiano de Almeida, Itatiba do Sul, Marcelino Ramos, Mariano Moro e Três Arroios, municípios com maior produção de citros na região e integrantes do Comitê.  Em Erval Grande, 120 hectares são cultivados com laranja e bergamotas, envolvendo 25 famílias ligadas à atividade.

O casal Alcir Paulo Komosinski e Juciele Marta Puerari apresentou os dados da propriedade, juntamente com o técnico do Escritório da Emater de Erval Grande, Juliano Galina. Na propriedade de 23 hectares, o casal destina 15 ha para o cultivo de laranja das variedades Valência e Navelina e dois ha com bergamotas. Na safra passada, foram colhidos 320 toneladas de laranja. Também em 2016 foram implantados mais quatro hectares com as variedades Monteparsano, Bahia, Lanelate, Iapar e Rubi.

 

Colheita 2017

O agrônomo Nilton Cipriano de Souza também orientou sobre as alterações na Instrução Normativa 37, prevista para entrar em vigor em setembro, com procedimentos e critérios fitossanitários para evitar proliferação da doença cancro cítrico e para comercialização da fruta para fora do Estado. Cipriano ressaltou que os técnicos da Emater vão capacitar sobre as alterações na legislação, repassando aos produtores como devem se adequar à Normativa que trata também do Controle de Origem Fitossanitário (CFO).

O técnico Agropecuário, Valtemir Bazeggio, e o empresário Sérgio Montanhér, da empresa Indústria de Sucos Alto Uruguai Comércio, Importação e Exportação, falaram sobre a comercialização da fruta e sobre o projeto de fomento que a empresa vem realizando. “Queremos trabalhar de forma integrada com o produtor”, disse Bazeggio.

 

 

Deixe uma resposta